Muitas vezes, ele funciona como um espelho, refletindo em seu comportamento os defeitos e qualidades de seu médium. Não estamos falando aqui de mistificação nem animismo e sim de um comportamento em que pela convivência um exterioriza qualidades e defeitos do outro. Apesar de Exu ter opinião própria a manifesta em linguagem simples e direta de forma que todos entendam. É ele a entidade mais próxima a nossa realidade e anseios materiais. Quando o médium começa a se desenvolver costuma ouvir que há a necessidade de doutrinar seu Exu. É natural que o médium não tenha doutrina no inicio de sua jornada espiritual e Exu exterioriza isso em seu comportamento, após boa doutrinação da entidade veremos a necessidade de doutrina também para o médium que acaba de chegar na casa. Durante o desenvolvimento mediúnico é ainda natural que o Exu se apresente pedindo sua oferenda, pois sua força é potencializadora e vitalizadora da mediunidade.
Este mesmo médium que está iniciando na Umbanda encontra todo um universo novo aos seus olhos e Exu costuma ser algo intrigante e fascinante ao mesmo tempo; quando não uma entidade, força, que assusta um pouco os que não o conhecem.
A questão é: Enquanto o médium estiver preocupado com a doutrina de “seu” exu estará também doutrinando-se, subconscientemente!
Devemos, sim, estar atentos quando nos deparamos com entidades de esquerda sem doutrina, muitas vezes estão chamando nossa atenção a seu médium para que tomemos uma atitude doutrinária em relação a ambos.
Tudo isso é bem diferente de um obsessor ou quiumba, trazido por transporte, que normalmente tem comportamento rude e agressivo. Falamos aqui do Exu de lei que acompanha o médium como entidade de trabalho na esquerda.
Não devemos subestimar exu, achando que é entidade sem luz desprovida de evolução, observando apenas um aspecto externo e superficial, pois quando vamos com a farinha ele já voltou com a farofa, devemos sim ficar atentos com o que nos dizem nas entrelinhas ou o que querem nos passar, quando não podem ou não se sentem a vontade para revelar.
Quanto ao que pode revelar, pergunte a ele sobre seu médium e o comportamento do mesmo e verá que Exu é o primeiro a apontar os defeitos de seu “cavalo” e isto está ainda dentro da qualidade especular de Exu.
No desenvolvimento mediúnico é ele um elemento de muita importância, pois dá força e potencializa as faculdades mediúnicas, não é difícil encontrarmos exu pedindo para ser oferendado logo no inicio da vida mediúnica.
Em uma casa de luz, em um terreiro de umbanda de fato, exu não aceitará trabalhos de ordem negativa a favor de futilidades ou egoísmos. Veremos exu trabalhando com seriedade e em sintonia com as entidades da direita, ou seja não virá em terra para contrariar todo um trabalho de doutrina realizado por caboclos e pretos velhos. Encontraremos até exus dando consultas, limpando e descarregando consulentes, fazendo desobsessão e outras coisas mais dentro do mesmo objetivo e até dando bons conselhos aos que a ele procuram.
Por tudo isso somos gratos a exu e Pomba gira por trabalharem conosco a favor da luz, e afirmamos muito do que se fala de exu e pomba-gira ligado a magia negativa, nós desconhecemos, sabemos que muitos tentam se passar por exu, mas aí já não é mais Umbanda. Umbanda acima de tudo é Amor e Caridade, exu não deve vir em terra para dar o contra no trabalho de direita.

Médiuns

Médium é toda pessoa que têm a qualidade de se comunicar com entidades desencarnadas ou espíritos, seja pela mecânica da incorporação, pela vidência (ver), pela audição (ouvir) ou pela pscicografia (escrever movido pelos espíritos).

O médium veio com a responsabilidade e com o compromisso de servir como um instrumento de guias ou entidades espirituais superiores. Para tanto, deve se preparar através do estudo, desenvolvendo a sua mediunidade sempre prezando a elevação moral e espiritual, a aprendizagem conceitual e prática da Umbanda, respeitar os guias e Orixás, ter assiduidade e compromisso com sua casa, ter caridade em seu coração, amor e fé em sua mente e espírito, e saber que a Umbanda é uma prática que deve ser vivenciada no dia-a-dia e não apenas no terreiro.

A mediunidade não deve ser vista ou vivenciada como um dom ou poder maior concedido ao médium ,e sim como um compromisso e uma oportunidade que lhe foi dada antes mesmo da pessoa reencarnar. Por isso não deve ser encarada como um fardo ou um forma de ganhar dinheiro, mas como uma oportunidade valiosa para praticar o bem e a caridade.

Existem médiuns que acabam distorcendo o verdadeiro papel que lhes foi dado, e se envaidecem agindo de forma leviana em suas vidas. O médium deve tangir sua vida como um mensageiro de Deus, dos Orixás e Guias. Ter um comportamento moral e profissional dígnos, ser honesto e íntegro em suas atitudes, pois do contrário acaba atraindo forças negativas, obssessores ou espíritos revoltados que vagam pelo mundo espiritual atrás de encarnados desequilibrados que estão na mesma faixa vibracional que eles. Por isso, desenvolver a mediunidade é um processo que deve ser encarado de forma séria a regido através de um profundo estudo da religião e seguido pelo conceitos morais e éticos. Ser orientado e iniciado por uma casa que pratica o bem é essencial.

As pessoas que são médiuns devem levar sempre a sério suas missões e ter muito amor e dar valor ao que fazem, ter sempre boa vontade nos trabalhos de seu terreiro e na vida do dia-a-dia.

O médium deve tomar, sempre que necessário, os banhos de descarrego adequados aos seus Orixás e Guias, estar pontualmente no terreiro com sua roupa sempre limpa, conversar sempre com o chefe espiritual do terreiro quando estiver com alguma dúvida, problema espiritual ou material.

[editar]

Hino da Umbanda

Refletiu a luz divina
Com todo o seu esplendor
É do reino de Oxalá
A onde há paz e amor

Luz que reflete na terra
Luz que reflete no mar
Luz que veio de Aruanda
Para tudo iluminar

A Umbanda é paz e amor
Um mundo cheio de luz
É a força que nos dá vida
E a grandeza nos conduz

Avante filhos de fé
Com a nossa lei não há
Levando ao mundo inteiro a bandeira de Oxalá
Levando ao mundo inteiro a bandeira de Oxalá.

Hino da Umbanda.
Autor: J. M. Alves - 1960

[editar]

Guias

Na Umbanda alguns praticantes, os chamados médiuns, recebem espíritos de luz, ou seja, entidades evoluídas que realizam trabalhos de cura e ajuda física ou espiritual.
Estas entidades incorporadas pelos médiuns são, salvo raras exceções, os chamados Guias. Na Umbanda, ao contrário do Candomble, não se incorporam Orixás. São incorporados os ditos falangeiros, espíritos que seguem a orientação e vibração dos Orixás. Este fator costuma causar alguma confusão nos terreiros pois muitas entidades se identificam com o nome do orixá, ao invés de citar que é um falangeiro. A incorporação dos Orixás é uma característica e conceituação do Candomblé e não da Umbanda.
Os Guias têm diferentes grupamentos, formando falanges de entidades afins, de mesma característica e roupagens. Assim temos os seguintes grupamentos na Umbanda:

Na umbanda branca, cada linha de orixá tem sete legiões, que correspondem a determinado guia espiritual. aqui temos exemplos de alguns:


Umbanda

A Umbanda foi fundada em Niterói, no Rio de Janeiro, em 1908 por Zélio Fernandino de Moraes sob a incorporação do Caboclo das Sete Encruzilhadas.(1)

Ela é a junção dos orixás dos negros africanos, que nela são os Pretos-velhos,  Indios nativos da fauna Brasileira que são nossos adorados caboclos e do sincretismo no catolicismo que usamos para não esquecermos de nossos orixás.

A Umbanda é uma religião pura, de luz e harmonia. Que tenta acima de tudo trazer e fazer as pessoas terem a plena paz de espírito, ela é formada por orações e rituais simples, mais muito fortes.

A Umbanda pura trata do religioso, sem mistificações e com tudo muita fé nas entidades, pois não se usa o sacrifício religioso e sim o sacrifício humano de um médium, que está incorporado para que sua entidade possa ajudar uma pessoa aflita, o ato de ajudar na Umbanda ao mesmo tempo de ser um sacrifício corporal e um relaxante espiritual, pois o médium que trabalha com amor e fé sai de um terreiro de Umbanda com suas baterias espiritual recarregada, para que possa dia a dia, pular os obstáculos da atribulação da vida diária. 

Não é Umbanda, pura na sua essência as casas que os babalaos fazem o mal, tais casas nem deviam dizer que são de Umbanda, pois não aceitamos ritos de magia negra, com isso só fazem sujar o nome desta religião tão pura e tão amados por todos.

É muito confortante para uma pessoa com problemas, poder sentar junto de um Preto-Velho ou Preta Velha, um ser astral de alta luz e sabedoria que com seus conselhos traz paz e alento.

Os Caboclos e Caboclas que abrem nossos caminhos retirando larvas astrais e ajudando na evolução espiritual e desenvolvimento dos médiuns.

Os Exús e as Pombagiras que limpam nossos caminhos dos inimigos, de pessoas que só querem nos prejudicar, sem termos feito nada para eles somente pelo simples sentimento de inveja.

 

Salve a Umbanda!!!

Salve Oxalá!!!

Salve Todas as Linhas!!!

Salve Todos os Povos!!!

_________________________________________________________________________

Anjos

 

 

 

 

Deus em sua Forma Astral criou os Anjos para nos ajudar e iluminar na vida Terrena.

Os anjos tem grande influência em nossas vidas, temos os Anjos da Guarda que Guardam o seres Humanos e cada pessoa tem o seu para guia - lo dos caminhos impuros e das maldades das trevas.

Os arcanjos são os Anjos com maior elevação estão mais próximo de Deus para junto a ele interceder por nóis, são eles que guiam os Anjos da Guarda.

Os Anjos guardiões de cada signo

 

Dia Favorável: Terça-Feira

Incensos: Mirra e Limão

Cor da Vela: Vermelha

Salmos: 24, 55, 90 e 91

 

Dia Favorável: Sexta-feira

Incensos: Sândalo e Jasmim

Cor da Vela: Azul

Salmos: 24, 79, 104 e 132

 

Dia Favorável: Quarta-Feira

Incensos: Lavanda e Cravo

Cor da Vela: rosa

Salmos: 7, 21, 49 e 126

 

Dia Favorável: Segunda-Feira

Incensos: Musk e Patchuli

Cor da Vela: Branca

Salmos: 19, 39, 47 e 86

 

Dia Favorável: Domingo

Incensos: Alfazema e Sândalo

Cor da Vela: Amarela

Salmos: 47, 80, 88 e 147

 

Dia Favorável: Quarta-Feira

Incensos: Alecrim e Canela

Cor da Vela: Laranja

Salmos: 21, 25, 74 e 80

 

Dia Favorável: Sexta-feira

Incensos: Açafrão e Bejoim

Cor da Vela: Azul

Salmos: 44, 79, 95 e 144

 

Dia Favorável: Terça-Feira

Incensos: Mexerica e Bejoim

Cor da Vela: Verde

Salmos: 24, 106, 138 e 144

 

Dia Favorável:  Quinta-Feira

Incensos: Rosa e Cedro

Cor da Vela: Azul

Salmos: 46, 91, 102 e 131

 

Dia Favorável: Sábado

Incensos: Bejoim e Musk

Cor da Vela: Verde

Salmos: 9, 67, 91 e 144

 

Dia Favorável: Sábado

Incensos: Madressilva e Patchuli

Cor da Vela: Vermelha

Salmos: 2, 3, 12 e 44

 

Dia Favorável: Quinta-Feira

Incensos: Mirra e Cânfora

Cor da Vela: Branca

Salmos: 21, 36, 93 e 108

 AMOR E LOUCURA

Em tempos atrás viviam duas
crianças, um menino e uma menina, que tinham entre
quatro e cinco anos de idade.
O menino chamava-se Amor e a
Menina Loucura.
O Amor sempre foi uma criança
calma, doce e compreensiva. Já Loucura era muito
emotiva, passional e impulsiva, enfim, do tipo que
jamais levava desaforo para casa.
Entretanto com todas as diferenças
as crianças cresciam juntas, inseparáveis;
brincando, brigando...
Mas houve um dia em que o Amor
não estava muito bem, e acabou cedendo às
provocações de Loucura, com a qual teve uma
discussão muito feia. Ela não deixava nada barato,
estava furiosa como nunca com o Amor, começou a
agredi-lo, mas não só verbalmente como de costume. A
menina estava tão descontrolada que agrediu o garoto
fisicamente e, antes que pudesse perceber, arrancou
os olhos do Amor.
O Amor sem saber o que fazer,
chorando foi contar à sua mãe, a deusa Afrodite, o
que havia ocorrido. Inconsolada, Afrodite implorou à
Zeus que ajudasse seu filho e que castigasse,
Loucura. Zeus, por sua vez, ordenou que chamassem a
garota para uma séria conversa.
Ao ser interrogada a menina
respondeu como se estivesse com a razão que o Amor
havia lhe aborrecido e que foi merecido tudo o que
aconteceu. Embora soubesse que não fora justa com
seu amigo, a menina que nunca soube se desculpar
concluiu dizendo que a culpa havia sido do Amor e
que não estava nem um pouco arrependida.
Zeus, perplexo com a aparente
frieza daquela criança disse que nada poderia fazer
para devolver a visão do Amor, mas, ordenou que
Loucura estaria condenada a guiá-lo por toda a
eternidade estando sempre junto ao Amor em cada
passo que este desse.
E até hoje eles caminham
juntos, onde quer que o Amor esteja com ele estará
Loucura, quase que fundidos numa só essência. Tão
unidos que por vezes não se consegue definir onde
termina o Amor e onde começa a Loucura.
E também por isso que usa-se
dizer que o Amor é cego; mas isso não é verdade,
pois o Amor tem os olhos da Loucura.

 ( autor desconhecido )

_____________________________________________________

                           A Rosa

    
  Um homem plantou uma rosa e passou a regá-la constantemente.
      Antes que ela desabrochasse, ele a examinou e viu o botão que em breve
      desabrocharia, mas notou espinhos sobre o talo e pensou,
       "Como pode uma flor tão bela vir de uma planta
      rodeada de espinhos tão afiados?"

      ·Entristecido por este pensamento, ele se recusou a regar a rosa e antes
      mesmo de estar pronta para desabrochar, ela morreu.
      Assim é com muitas pessoas.
      Dentro de cada alma há uma rosa:
      São as qualidades dadas por Deus.
      Dentro de cada alma temos também os espinhos:
      São as nossas faltas.
      Muitos de nós olhamos para nós mesmos e vemos apenas
      os espinhos, os defeitos.Nós nos desesperamos, achando que nada de bom
      pode vir de nosso interior.
      Nos recusamos a regar o bem dentro de nós, 
      e conseqüentemente, isso morre.
      Nunca percebemos o nosso potencial.
      Algumas pessoas não vêem a rosa dentro delas mesmas.
      Portanto alguém mais deve mostrar a elas.
      Um dos maiores dons que uma pessoa pode possuir ou compartilhar é ser
      capaz de passar pelos espinhos e encontrar a rosa
      dentro de outras pessoas.
      Esta é a característica do amor.
      Olhar uma pessoa e conhecer suas verdadeiras faltas.
      Aceitar aquela pessoa em sua vida, enquanto reconhece
      a beleza em sua alma
      e ajudá-la a perceber que ela pode superar suas aparentes imperfeições.
      Se nós mostrarmos a essas pessoas a rosa, elas superarão
      seus próprios espinhos.
      Só assim elas poderão desabrochar muitas e muitas vezes.
      Portanto Sorriam e descubram as rosas que existe dentro de cada um de
      vocês e das pessoas que amam...

_____________________________________________________

Reflexões

_____________________________________________________________________________________

                 FLOR E AMIZADE


Quando nasce uma flor, ela recebe do sol a energia de que ela precisa, da água o oxigênio fundamental para sua sobrevivência e, claro, não poderíamos deixar de mencionar a terra de onde ela tira nutrientes que irão complementar tudo de que ela precisa para viver.

  Essa flor, com o passar do tempo, poderá permanecer bela, com vigor, exalando o perfume característico de sua espécie, se tudo o que ela precisar continuar ao seu redor, ao seu alcance.

  Quando vem a tempestade, ela irá lutar com as suas forças para continuar a sobreviver, pode até perder alguma pétala, mas ela é forte para seguir adiante até se recuperar, pois apesar de frágil, a vida, o instinto de sobrevivência fala mais alto e após essa experiência ela torna-se até mais mais forte do que antes.

  Na nossa vida dá-se o mesmo, nascemos, crescemos e passamos por diversas situações que às vezes não sabemos o porquê nem a razão do que nos acontece, mas sabemos que depois elas nos tornarão mais fortes para outros momentos adversos que voltarem a surgir em nosso caminho.

  A amizade é um bem precioso que surge na vida das pessoas quando menos se espera, tornando a nossa vida mais feliz.

  Compartilhamos muitos momentos com os amigos, com alguns mais do que com outros, por afinidade, por confiança ou por força de circunstâncias.

  Da mesma forma que a flor, a amizade precisa de cuidados para continuar com a mesma força e intensidade, mas a distância, as adversidades, o corre-corre do dia-a-dia, o tempo, faz com que a amizade sofra certa perda, o que não significa que ela enfraqueça, apenas se modifique.

  Mas, com certeza, se ela for verdadeira e sincera, ela terá da mesma maneira que a flor, forças para se manter, e muitas vezes será até mais sólida porque nasce a saudade, um ingrediente a mais que vem para completar. 
     

 

 

 

 

____________________________________________________

Título Desconhecido

Um leão encontrou um grupo de gatos conversando. "Vou devora-los", pensou.
Mas começou a sentir-se estranhamente calmo. E resolveu sentar-se com eles, para prestar atenção no que diziam.
- Meu bom Deus - disse um dos gatos, sem notar a presença do leão. -
Oramos a tarde inteira! Pedimos que chovessem ratos do céu!
- E, até agora, nada aconteceu! - disse outro. - Será que o Senhor não existe?
O céu permaneceu mudo. E os gatos perderam a fé.
O leão levantou-se, e seguiu seu caminho, pensando:" Veja como são as
coisas. Eu ia matar estes animais, mas Deus me impediu. Mesmo assim, eles pararam de acreditar nas graças Divinas: estavam tão preocupados com o que estava faltando, que nem repararam na proteção que receberam."

_____________________________________________  

Conhece o Orixá que Rege o seu Signo

 __________________________  

Aries – Ogum

_________________________

Touro – Oxossi

_________________________

Gêmeos – Ibeji

_________________________

Cancêr – Oxum

_________________________

São Jerônimo - Sincretismo Xangô         

Leão – Xangô

__________________________

São Lázaro - Sincretismo Obaluaiê

Virgem – Obaluayê

_________________________

Libra – Oxumaré

_________________________

Escorpião – Nanã

_________________________

Sagitário – Iansã

_________________________

São Lázaro - Sincretismo Obaluaiê

Capricórnio – Omulu

_________________________

Aquário – Oxalá

_________________________

Peixes – Iemanjá

 _________________________

Hino da umbanda

" Refletiu a luz Divina
Em todo seu esplendor
É no reino de Oxalá
Onde há paz e amor

Luz que refletiu na terra
Luz que refletiu no mar
Luz que veio de Aruanda
Para tudo iluminar

A Umbanda é paz e amor
É um mundo cheio de Luz
É força que nos dá vida
E à grandeza nos conduz

Avante, filhos de fé
Como a nossa lei não há
Levando ao mundo inteiro
A bandeira de Oxalá..."

 

 

 

 

 

 

 

 

   Oxum

Rainha dos Rios, Oxum orixá da procriação tem seu sincretismo em Nsa da Conceição.

O Orixá Oxum é responsável por uma grande falange a do rio, Oxum é Aquela grande Mãe tipo manteiga derretida, faz de tudo por um filho. Seus filhos tem como característica serem fracos de sentimentos são dóceis e depressivos, basta algo está até mesmo sem acontecer para que eles entrem em depressão; Choram por tudo até mesmo nas alegrias. Mais são fortes e se dão bem em locais de trabalho apesar de senão tomarem cuidado os outros companheiros fazem o que querem com eles.

Oxum em seus rios temos uma grande força, não a nada melhor para se desfazer um trabalho ou feitiço pois suas águas correntes levam tudo para o mar( O mar é um Grande cemitério assim oxum entrega todo para Iemanjá que desfaz o trabalho juntamente com sua falange).

A ela também creditamos o ventre feminino e é a Deusa do Amor, então se queres casar ou ter um filho é a ela que deve pedir.

Seu dia da Semana: Sábado

Sua Cor: AZul

Sua Bebida: Champagne

Gosta de perfumes, espelhos, sabonetes, pentes e muito mais.

Oração a Ns. da Conceição

Ó incomparável Virgem da Conceição,
Mãe de Deus, Rainha dos Céus,
Maria, volvei para mim, imploro-vos,
o olhar benigno de vossa misericórdia.


Livrai-me de minhas gravíssimas culpas;
e com o favor de vossa poderosíssima intercessão,
fazei que eu consiga da Divina Majestade

a salvação de minha alma, a perfeita saúde do corpo
e aquela graça da qual tanto necessito
e que vos recomendo
a fim de que, servindo e louvando-vos nesta vida,
venha depois, um dia,
a amar-vos e agradecer-vos
para toda a eternidade.

 

Nanã Buruquê

Sincretizada em N.S. de Sant`ana, é  cultuada no dia 26 de Julho.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ela é responsável pelo elemento barro, assim mostrando que Nanã fez parte da criação do 1º homem e de todos os seres viventes na terra.

Nanã é considerada a Mãe de todos os Orixás e Zambi o Pai dos Orixás e espíritos que ela dirige.

Também associada tanto com a vida como com a morte, atua nas águas das chuvas limpando a Atmosfera e varrendo o Ar. Além disso é considerada Mãe dos Orixás Omulú (Obaluayê) e Oxumarê.

Pertence a linha do Obaluayê, podendo também atuar na linha de Iemanjá.

Caboclos de Nanã:

Assucena, Inaira, Juçanã, Janira, Juraci, Jutira, Luana, Sumarajé, Tista, Paraguassú.

Nanã tem como característica a sua dança, na qual ela vai limpando o ambiente, andando com seu corpo curvado varrendo todos os males.

Seu Habitat: Calunga Pequena, Charcos, Lamaçal e Nascente d`agua

Sua cor na umbanda: Lilás

Seu Metal: Ouro Branco ou Níquel

Suas flores: Rosas Vermelhas (rubra), Dália Vermelho escuro

Dia da Semana: Segunda-feira

Suas Ervas: cipestre verde, folhas de beringela, colônia, manacá, pétalas de rosas vermelhas (rubras)

Sua Bebida: água mineral sem gelo

Sua Pedra: ametista e Feldspato

Sua Fruta: Melão

Sua Comida: Beringela cozida regada com azeite doce; Inhame cozido (pirâmide de Nanã) regado com mel.

Sua saudação na Umbanda:

 

Saluba Nanã!

             Saluba Vovó!

                          Salve Nanã Buruquê!

 

Obaluayê (omulú)

 

 

 

 

Tem seu Sincretismo em São Lázaro, São Brás e São Roque.

Seus dias de homenagem são: 03 de Fevereiro, 16 de Agosto e 17 de Dezembro.

Este orixá tem muita força e se desdobra em duas vibrações o Obaluayê (velho) chamado de Omulú no qual seu habitat é fora do cemitério e o Obaluayê (novo) cuja vibração é de dentro do cemitério. Apesar de falarmos em cemitério isso não quer dizer que esse orixá seja a morte; ele simplesmente é o orixá da terra, tragando tudo de ruim tanto na parte material quanto espiritual é o orixá da cura a ele é creditado o nome de “Médico dos Pobres”, sendo também chamado de “Rei da Terra” pois a Terra é elemento vital para a vida Humana de onde se tira a subsistência. É o orixá da Transmutação assim trasformando tudo de podre da Terra em elemento Fértil.

Obaluayê(Omulú) não é o orixá da doença e nem é a peste, ele é quem nos cura destes males, sendo assim, vamos respeitá-lo como ele deve ser amado e venerado.

Seu habitat: Cemitério

Seu metal: Chumbo

Sua comida: Flor de Omulú, pipoca feita na areia com fatias de coco regada com mel.

Dia da Semana: Segunda-Feira

flores: Cravos e crisantemos brancos

 

Ponto de Omulú

 

Eu caminhava por uma estrada

Quando um velho eu encontrei

Eu perguntei quem é você...

Me respondeu sou dono do seu caminho,

Afastando os espinhos para você não sofrer

E com meu manto sagrado te cubro e te amparo

Sou obaluayê.

Ao seus pés me joelhei, suas mãos eu afaguei,

Suas preces eu emplorei e Atotô Obaluayê sou feliz tenho você.

Eu caminhei, caminhei, caminhei; Hoje eu sou feliz meu pai Obaluayê. (Bis)

 

 

Ponto de Omulú

 

Quem disse que meu pai é velho,

É velho mais tem coroa

Ofereço a Obaluayê

Pipoca, perfume e flores.

Tatá Caveira 

Sua Lenda e de Toda sua Falange

 

Antes de ser uma entidade, Tatá Caveira viveu na terra, assim como todos nós. Acredita-se que nasceu em 670 D.C., e viveu até dezembro de 698, no Egito, ou de acordo com a própria entidade, "Na minha terra sagrada, na beira do Grande Rio".

Seu nome era Próculo, de origem Romana, dado em homenagem ao chefe da Guarda Romana naquela época.

Próculo vivia em uma aldeia, fazendo parte de uma família bastante humilde. Durante toda sua vida, batalhou para crescer e acumular riquezas, principalmente na forma de cabras, camelos e terras. Naquela época, para ter uma mulher era necessário comprá-la do pai ou responsável, e esta era a motivação que levou Próculo a batalhar tanto pelo crescimento financeiro.

Próculo viveu de fato uma grande paixão por uma moça que fora criada junto com ele. Porém, sua cautela o fez acumular muita riqueza, pois não queria correr o risco de ver seu desejo de união recusado pelo pai da moça.

O destino pregou uma peça amarga em Próculo, pois seu irmão de sangue, sabendo da intenção que Próculo tinha com relação à moça, foi peça chave de uma traição muito grave. Justamente quando Próculo conseguiu adquirir mais da metade da aldeia onde viviam, estando assim seguro que ninguém poderia oferecer maior quantia pela moça, foi apunhalado pelas costas pelo seu próprio irmão, que comprou-a horas antes.

Ao saber do ocorrido, Próculo ficou extremamente magoado com seu irmão, porém o respeitou pelo fato ser sangue do seu sangue. Seu irmão, apesar de mais velho, era muito invejoso e não possuía nem metade da riqueza que Próculo havia acumulado.

A aldeia de Próculo era rica e próspera, e isto trazia muita inveja a aldeias vizinhas. Certo dia, uma aldeia próxima, muito maior em habitantes, porém com menos riquezas, por ser afastada do Rio Nilo, começou a ter sua atenção voltada para a aldeia de Próculo.

Uma guerra teve início. A aldeia de Próculo foi invadida repentinamente, e pegou todos os habitantes de surpresa. Estando em inferioridade numérica, foram todos mortos, restando somente 49 pessoas.

Estes 49 sobreviventes, revoltados, se uniram e partiram para a vingança, invadindo a aldeia inimiga, onde estavam mulheres e crianças. Muitas pessoas inocentes foram mortas neste ato de raiva e ódio. No entanto, devido à inferioridade numérica, logo todos foram cercados e capturados.

Próculo, assim como seus companheiros, foi queimado vivo junto com seu irmão, que agora queimava ao seu lado.

Esta foi a origem dos 49 exus da linha de Caveira, constituída por todos os homens e mulheres que naquele dia desencarnaram.

Entre os exus da linha de Caveira, existem: Tatá Caveira, João Caveira, Caveirinha, Rosa Caveira, Dr. Caveira (7 Caveiras), Quebra-Osso, entre muitos outros. Por motivo de respeito, não será indicado aqui qual exu da linha de Caveira foi o irmão de Tatá enquanto vivo.

Exu Caveira na Umbanda

Responde na linha do Orixá Obaluayê(omulú).

Seu Habitat: a Calunga Pequena(Cemitério)

Trabalha com muita dignidade, não faz o mal e faz o bem para crescer em sua evolução espiritual. Esse exu tem muita força e muitos o temem por ignorância de não conhecer sua real forma de bom espírito de luz apesar de não ter paciência. 

E saibam que exu não é demônio e muito menos lúcifer. Exu é um espírito com luz e que busca evolução.

Exú e Pombagira

São entidades que trabalham na rua, mas não são os donos delas.

Exú trabalha na rua que é emprestada para ele por Ogum, o dono dos caminhos; Assim, Exú é responsável pela abertura e retirada dos males que no caminho de seus protegidos se põem.

Exú e Pombagira não são demônios e sim espíritos com luz, assim devemos acabar com tais conceitos. Exús não usam tridentes porque são associados com o demônio e sim porque possui um significado divino em suas três pontas magnetizadas de atração ou repulsão, se cruzando para formar o elo da vida e de vitalização ou difusão de elementos materiais.

Sendo assim, Exú é o equilíbrio da força astral da terra, é a membrana de proteção de nós, seres vivos de Deus.

Os Exús são mensageiros dos Orixás, tendo cada Orixá o seu Exú falangeiro, veja abaixo alguns mais conhecidos:

 

Exú Sete Encruzilhada – Mensageiro de Oxalá, tem a missão de unir e comandar os Exús que vibram nas encruzilhadas.

Exú Caveira – Mensageiro de Omulú, chefe da falange dos Exús que trabalham no cemitério.

Exú Tranca Ruas – Chefe da Legião dos Exús, trabalha sob o comando de todos os Orixás.

Exú Marabô – Mensageiro de Xangô.

Exú Veludo – Mensageiro de Oxossi.

Exú Gira-Mundo – Mensageiro de Xangô.

 

Saravá as alegres Pombagiras com seus trajes multicoloridos, cada qual com sua missão muito bem desempenhada dentro da nossa Umbanda, praticando a caridade e o bem a todos que a elas recorrem.

As Pombagiras aparecem com diversos nomes, as mais conhecidas são:

 

Maria Padilha – Chefe de Falange que trabalha para todas as linhas.

Rainha das 7 encruzilhadas – São vigilantes, fiscalizam tudo que foi recebido e o que foi dado.

Maria Mulambo – Protege com a sua magia espiritual, dos espíritos perturbadores etc.

Pombagira das Almas – Pombagira na vibração de Nanã.

Pombagira da Praia – Pombagira na vibração de Iemanjá.

                     

                Laróye Exú!

Exú Amojubá.

Gira-GireMoça!

 

meu amigo zezinho

Zé pelintra

 

 

 

Entidades de luz, carismáticas, chegam nos terreiros de umbanda, com seu samba no pé, seu cigarro na boca, chapéu de panamá de lado com toda a ginga de um malandro. Não é originário da umbanda, tem como sua origem, os rituais do catimbó, provenientes do Nordeste brasileiro, onde até hoje é cultuado a imagem do malandro Zé Pelintra, chefe da linha dos malandros.

Zé Pelintra nasceu no nordeste, mais provavelmente em Recife e veio para o Rio de Janeiro, onde se malandriou na Lapa e um certo dia foi assassinado a navalhadas em uma briga de bar.

Assim, Zé Pelintra formou uma bela Falange de malandros de luz, que vêm ajudar aqueles que necessitam, os malandros são entidades amigas e de muito respeito, sendo assim não aceitamos que pessoas que não respeitam as entidades e a umbanda, digam que estão incorporados com seu Zé ou qualquer outro malandro e que eles fumam maconha ou tóxicos; entidades usam cigarros e charutos, pois a fumaça funciona como defumador astral.

Podemos citar além de Seu Zé Pelintra, Seu Zé Malandrinho, Seu Malandro etc.

Os malandros vêm na linha de exú, mas malandros não são exús!

Eles ficam bravos quando são confundidos ou comparados com exú, pois malandros são entidades da rua, assim exú que com ogum são donos da rua, as emprestam para que os malandros possam malandriar.

Ao contrário dos exús que estão nas encruzilhadas, encontramos os malandros em bares, subidas de morros, festas e muito mais.

 

Salve seu Zé Pelintra!

Salve os Malandros!

Salve a Malandragem!

 

Sua comida: 7 pedaços de carne seca e carne seca com farofa, torresmo co cebola, sardinha frita e etc..

Sua Bebida: Cerveja branca bem gelada ou cachaça

Seu Habitat: Subida de Morros

Sua cor: Vermelho e Branco ou Preto e Branco

 

Pontos Cantados De Zé Pelintra

 

Ponto de exú Tranca-ruas de Imbaé e Zé pelintra

Se quiser me ver

Sobe em cima de um barranco

Ô Zé. (bis)

O homen é, Tranca-ruas de Imbaé (bis)

Tranca-ruas e zé pilintra,

São dois fiéis companheiros

Tranca-ruas no caminho e

Zé pilintra no terreiro.

 

Ponto de Malandro

Ai eu vim aqui malandro,

Pela sua fama, pela sua fama, pela sua fama.

 

Ponto de Zé Pelintra

O Zé quando vem lá de Alagoas

Toma cuidado com o balanço da canoa. (bis)

O Zé faça tudo o que quizer,

Mas não maltrate,

O coração desta mulher.

Oxossi        

 

 

 

Sincretizado em São Sebastião, é cultuado na umbanda no dia 20 de Janeiro.
Orixá das matas. Oxossi é o orixá cuja a linha é uma das maiores, que é chefiada pela Cabocla Jurema; Rei da floresta, Caçador, Oxossi domina a fauna e a flora, gera progresso e riqueza ao homem.
Este orixá está ligado a tudo que nasce e cresce através da fotossíntese; é a divindade das folhas medicinais e ervas usadas nos rituais de umbanda, Oxossi é rei das matas e assim é chefe de todos os caboclos, não esquecendo que além de alguns caboclos, vibrarem na vibração de outros orixás, eles também vibram na vibração de Oxossi.
A linha de Oxossi é constituída de 7 legiões ou falanges, que são: falange dos caboclos das 7 encruzilhadas, falange do caboclo Araribóia, falange do caboclo Urubatão, falange da cabocla jurema, falange dos tamoyos, falange dos Guaranis, falange dos Peles Vermelhas.

Sua cor: Verde
Seu símbolo: Arco e Flecha unidos
Sua bebida: Vinho Tinto Rascante ou Clarete
Seu metal: Bronze ou Latão
Sua pedra: Quartzo verde
Sua ervas são: Erva de Oxosse, Pelegum Verde, Cana do Brejo, Caiçara e Eucalipto.

Sua saudação na umbanda:


 
“Okê Arô”
“Okê Arô Odé Koké Maior”

 

Pontos Cantados De Oxossi

Ponto de Oxossi

Atira, atira, eu atirei!

Na bambá, vai atirá

Veado no mato é corredor

Oxossi na mata é caçador.

Ponto de Oxossi

Eu vi chover

Eu vi relampejar

Mas mesmo assim

O céu estava azul

Samborê pemba

Da folha da Jurema

Oxossi é dono do maracajá.

Ponto de Oxossi 7 flechas

A lua corre no céu

O rio corre na terra,

Oxossi corre na mata

É guerra, É guerra, É guerra!

Com sua flecha

Fere mas não mata.

Ponto da estrela D’alva (irradiação cabocla Jurema)

Estrela D’alva é nossa guia

Ilumina o mundo sem parar

Ilumina a mata virgem

Cidade de Juremá.

 

Vinde, vinde, companheiros

Ai de min tão só

Companheiros de Jurema

Ai de min tem dó.

Ponto de Oxossi

Se seu saiote é carijó

E a sua flecha é de inda-iá...

Somos caboclos, bem serenos

Como o sereno é.

Oxossi é rei da Macaia;

Oxossi é rei da guiné.

 

                                                            




[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL , Sudeste , SAO BERNARDO DO CAMPO , ALVES DIAS , Mulher , de 15 a 19 anos , Portuguese , Música , Esportes

 
Visitante número: